SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 número20Rescate, promoción y difusión de la música mexicana como estrategia educativa para el fortalecimiento del patrimonio cultural nacionalLa formación de investigadores: oficio y conocimiento pertinente ante los avances de la ciencia y la tecnología índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay artículos similaresSimilares en SciELO

Compartir


RIDE. Revista Iberoamericana para la Investigación y el Desarrollo Educativo

versión On-line ISSN 2007-7467

Resumen

MIRANDA ESTEBAN, Adriana; BEDOLLA SOLANO, Ramón; BEDOLLA SOLANO, Juan José  y  SANCHEZ ADAME, Oscar. Educação sustentável não formal para conservação de manguezais em áreas costeiras com estudantes de Sociologia, UAGro. RIDE. Rev. Iberoam. Investig. Desarro. Educ [online]. 2020, vol.10, n.20, e018.  Epub 18-Nov-2020. ISSN 2007-7467.  https://doi.org/10.23913/ride.v10i20.618.

Diante da crise ambiental, surge a importância da educação. As universidades estão comprometidas em contribuir para a sustentabilidade, é necessário que a dimensão ambiental seja incluída no currículo, para que essa dimensão implique o desenvolvimento de questões ambientais de forma transversal, ou atividades que contribuam para a compreensão da realidade socioambiental para os alunos analisarem a crise ambiental e intervirem em estratégias; no entanto, às vezes, os currículos não são ambientalizados ou não integram questões transversais, como o meio ambiente, e é necessário ir para a Educação Ambiental não formal Por esse motivo, programas educacionais de intervenção não formal são projetados e, assim, contribuem para a sustentabilidade necessária. A pesquisa foi realizada no período de janeiro a setembro de 2019 e teve como objetivo diagnosticar a presença da dimensão ambiental no Plano de Estudos da Escola Superior de Sociologia (PEESS) da Universidade Autônoma de Guerrero (UAGro) e Implementar e avaliar um curso não formal de educação ambiental voltado para a conservação de manguezais, com uma abordagem socioambiental para os alunos daquela instituição. O Modelo Educacional da UAGro estabelece a sustentabilidade como princípio norteador, no entanto, o (PEESS) contempla muito pouco o meio ambiente ou o referido princípio.

Foi um estudo misto, com foco em pesquisa-ação e descritivo, contemplado três fases, um diagnóstico para identificar a dimensão ambiental no currículo, portanto, foi realizada uma entrevista com os alunos, com variáveis ​​(inclusão da dimensão ambiental no currículo). (PEESS, percepção da crise ambiental, importância da EA e manguezais), a segunda fase incluiu o desenho e a elaboração do respectivo planejamento didático do curso-workshop, seguiu-se uma metodologia construtivista e de competência, os temas definidos foram Educação Ambiental e conservação de manguezais, a terceira incluiu a aplicação e avaliação do workshop-curso em questão.

Os resultados indicaram que o PEESS mal integra a dimensão ambiental, porque as unidades de aprendizagem que o conformam não vinculam o tema ambiental aos seus objetivos, os professores não possuem competências nesse campo, os alunos não promovem competências ambientais entre outros . Na segunda fase, foi possível preparar um curso de oficina sobre Educação Ambiental para conservar manguezais com base científica, contemplou duas sessões, atividades e métodos de avaliação e na terceira fase, "aplicação e avaliação" foram assistidas por setenta alunos das diferentes séries que participaram do treinamento, a avaliação realizada permitiu saber que o aprendizado e as habilidades foram adquiridos na EA e proteger e conservar os manguezais.

O Modelo Educacional da UAGro estabelece sustentabilidade e, portanto, a introdução de questões transversais como meio ambiente e outros temas, mas o PEESS mal contempla essa dimensão. Autores como Yanes e Álvarez (2019) afirmam que diferentes países devem incorporar o princípio da integração curricular no ensino da educação ambiental para o desenvolvimento sustentável por meio de seus sistemas educacionais. Linares, Tovilla e De la Presa (2004a) consideraram que a educação ambiental é necessária para ajudar a aumentar a conscientização sobre o problema que afeta hoje as florestas de mangue, eles também comentam que, através de oficinas para a proteção de manguezais, tem sido conseguiu envolver algumas pessoas para um uso racional do homem e de seus recursos.

Palabras llave : Educação Ambiental Não Formal; sustentabilidade; manguezais; socioambientais.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )