SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 número1Percepción del embarazo en mujeres con Virus de Inmunodeficiencia Humana y su apoyo familiar índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay artículos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Horizonte sanitario

versión On-line ISSN 2007-7459versión impresa ISSN 1665-3262

Resumen

LUCIO-GARCIA, Cinthya Ayerim; RECAMAN, Ana Lucía  y  ARREDONDO, Armando. Evidências sobre a desigualdade na distribuição dos recursos humanos para a saúde. Horiz. sanitario [online]. 2018, vol.17, n.1, pp.77-82. ISSN 2007-7459.  https://doi.org/10.19136/hs.a17n1.1984.

Objetivo:

Identificar as evidências sobre o estudo da desigualdade na distribuição de recursos humanos de saúde, e as ferramentas metodológicas.

Materiais e métodos:

Realizou-se um estudo descritivo onde foram identificados estudos que abordam a desigualdade na distribuição dos recursos humanos em saúde. A busca foi realizada em Espanhol e Inglês, usando os termos: equidade em saúde, distribuyo, recursos humanos em saúde e pessoal de saúde. O prazo para a revisáo era do 12 de abril ao 29 de maio 2017, fazendo-se uma classificação dos estudos encontrados a partir da perspectiva da distribuição dos recursos humanos em saúde.

Resultados:

Países como a Austrália, a Alemanha, a França e a Suécia estudaram a equidade em termos de distribuyo da população entre as zonas rurais e urbanas, o índice de Gini é um dos indicadores mais utilizado para estimá-la. Outro método utilizado baseia-se no critério da densidade de popuyáo; baseando-se nessa taxa com base populacional, por exemplo no México, a taxa de médicos por 1000 habitantes pelo país todo é 2,2, menor do que a média em países membros da OCDE, que é de 3,2. Outra forma de desigualdade na distribuição de recursos humanos, é apresentado por nivel de atenção onde tende a concentrar-se recursos humanos no nivel hospitalar. No México, em 2015 apenas 32,7% dos médicos e 29,9% dos enfermeiros do Ministério da Saúde foram localizados em unidades de cuidados primários, ambas porcentagens sáo inferiores as recomendadas pela OMS (40 %).

Conclusões:

O estudo da desigualdade na saúde exige a compreensão de conceitos de igualdade e equidade. Indicadores para o estudo da equidade são úteis porque permitem identificar as deficiencias na alocação de recursos humanos e concentrações de recursos humanos em determinadas áreas.

Palabras llave : Equidade em saúde; distribuição; pessoal de saúde.

        · resumen en Español | Inglés | Francés     · texto en Español     · Español ( pdf )