SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número1Riesgo de pie diabético y déficit de autocuidados en pacientes con Diabetes Mellitus Tipo 2Programa de formación de ayudantes de investigación: conocimiento y satisfacción de los estudiantes índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay artículos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Enfermería universitaria

versión On-line ISSN 2395-8421versión impresa ISSN 1665-7063

Resumen

BLANCA-GUTIERREZ, J.J.  y  ARIAS-HERRERA, A.. Síndrome de burnout no pessoal de enfermagem: associação com estressores do entorno hospitalar, Andaluzia, Espanha. Enferm. univ [online]. 2018, vol.15, n.1, pp.30-44. ISSN 2395-8421.  http://dx.doi.org/10.22201/eneo.23958421e.2018.1.62903.

Introdução:

A síndrome de burnout, é um padecimento de prevalência contrastada em um entorno como de cuidados de saúde, onde se convive com altas doses de responsabilidade, contato direto com as pessoas, situações próximas à morte. Este problema é causa direta do absentismo e é necessária sua prevenção.

Objetivo:

Identificar com base no Inventario de Maslach a presença de síndrome de burnout no pessoal de enfermagem e sua associação com estressores compreendidos na Escala de Estresse em enfermagem (NSS por suas siglas em inglês).

Método:

Estudo observacional, descritivo, transversal, de corte prospectivo. A população a compõem 140 profissionais de enfermagem que trabalham no Hospital de Montilla (Espanha). Mediante amostragem probabilística de tipo aleatório simples obtém-se una amostra representativa de 43 participantes. Determina-se a associação entre cansaço emocional, despersonalização e realização pessoal (“Maslach Burnout Inventory”), com cada um dos nove fatores que medem a presença de estressores na escala “Nursing Stress Scale”. Utilizou-se o “coeficiente de correlação de Pearson” e a “T de Student”.

Resultados:

Existe associação entre os níveis de “cansaço emocional” e os seguintes estressores: morte e sofrimento, carga de trabalho, incerteza respeito ao tratamento, problemas com a jerarquia, preparação insuficiente, problemas entre o pessoal enfermeiro e passar temporalmente a outros serviços por falta de pessoal. Com respeito à “despersonalização”, seus níveis estão associados com: incerteza respeito ao tratamento, preparação insuficiente e problemas entre o pessoal de enfermagem.

Conclusões:

Atuar diretamente sobre os fatores associados com o desgaste identificados através desta ferramenta, permitirá aos gestores de saúde prevenir o avance do “burnout” entre sus trabalhadores.

Palabras llave : Esgotamento profissional; enfermeiros; administração de pessoal; prevenção primária; Espanha.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )